Olhos D'Àgua - Conceição Evaristo

Das esperanças de que todos somos feitos. Das tristezas e alegrias. Das vidas que pensamos que escolhemos. Do quanto somos levados, sem pensar muito sobre tudo, apenas tentando sobreviver, tentando aproveitar as poucas alegrias. No fim parece fácil olhar para trás e julgar. A dificuldade, a falta que faz, do luxo do tempo, de sobreviver e planejar. Encontros e desencontros. Reencontros que nos fazem perecer, padecer do mesmo erro. Da irresponsabilidade masculina, a crueza, o ódio desmedido e sem direção. Lembranças da infância. As questões materiais e visuais se perdem em meio a brincadeiras. O amor em diversos atos, formatos e idades. Algumas vezes representado sem esperança e previsibilidade mas apenas durante a ação. Originando outras formas, como na dor, palavra de alguma maneira próxima ao amor. A urgência do mundo que nos consome pelo tempo. Otimizado. Tornar apenas autômatos sem passado. Consumindo o presente e lutando pelo medo do futuro. Houve a inocência, ouve a rudeza em total desamparo. Uma invisibilidade de histórias nunca contadas. De adultos que parecem saber de tudo. Sabem na realidade que a vida não é o bem mais valioso. A luta pela sobrevivência não parece em certos aspectos ser diferente de nossos antigos ancestrais, lutando pela vida em uma natureza ainda muito desconhecida. Hoje ainda não entendo os pequenos atos cotidianos e o quanto de selvageria estão ali aninhados, esperando. Aguardando. O contraste entre os diferentes tipos de vida, o quanto ver diariamente torna algo insuportável, quando parece não haver saída. Quando não é conhecido uma lado mais leve. Amenizado pelo dinheiro. Enquanto isso o tempo passa. O cansaço se aninha. Nada muda. Vontade de desistir. Mas ao mesmo tempo tudo acontece. Em algum momento algo aflora. O medo de morrer se torna o ato de matar. Tudo padece, assim como um momento, uma comunidade, temor de pertencer a algo que se vê apagando e a alegria quando se renova em um choro pouco entendido, de quem vem a vida, surgindo para o desconhecido.

Comentários

Postagens mais visitadas